Disciplinas

(com os conteúdos programáticos)

 Antigo Testamento II: Introdução e Análise II

Antigo Testamento III: Introdução ao Pentateuco

Antigo Testamento IV: Introdução aos Livros Históricos

Antigo Testamento V: Introdução aos Livros Proféticos I

Antigo Testamento VI: Introdução aos Livros Proféticos II

Antigo Testamento VII: Introdução aos Livros Poéticos e aos Sapienciais

Antigo Testamento VIII: Teologia do Antigo Testamento I

Antigo Testamento IX: Teologia do Antigo Testamento II

Apologética

Coaching e Empreendedorismo

Contabilidade e Direito Eclesiástico

Didática

 ESAC-P (Estágio Supervisionado e Atividades Complementares: orientação e acompanham. presencial) I a VIII

Evangelismo e Missões

 Ética Ministerial e Etiqueta Social 

Filosofia I: Introdução à Filosofia

Filosofia II: História da Filosofia Antiga

Filosofia III: História da Filosofia Medieval

Filosofia IV: História da Filosofia Moderna

Filosofia V: História da Filosofia Contemporânea

Geografia Bíblica I

Geografia Bíblica II

Grego I (F)

Grego II (F)

Grego III (F)

Grego IV (F)

 Hebraico I (F)

Hebraico II (F)

Hebraico III: Exegese I (F)

Hebraico IV: Exegese II (Textos selecionados do Antigo Testamento II) (F)

Hermenêutica

História da Bíblia I: Visão Panorâmica (Bibliologia)

História da Bíblia II: Infalibilidade e Inerrância

História da Bíblia III: Construção

História da Bíblia IV: Crítica Textual (introdução e análise)

História da Bíblia V: Canonicidade e Documentação

História da Igreja I: Era Apostólica I

História da Igreja II: Era Apostólica II

História da Igreja III: Era Antiga

História da Igreja IV: Era Medieval I

História da Igreja V: Era Medieval II

História da Igreja VI: Reforma Protestante

História da Igreja VII: Era Contemporânea

História da Igreja VIII: História do Pentecostalismo

História da Igreja IX: No Brasil e nas Américas

História das Denominações Cristãs e das Instituições Paraeclesiásticas

História de Israel I: dos Macabeus e de Bar-Kohba às Judensau alemãs do século XIII

História de Israel II: do Gueto de Veneza à Hertz ("Der Judenstaadt")

História de Israel III: Da "Declaração de Balfour" aos dias atuais

História do Pensamento Cristão I: Patrística até Pré-Escolástica

História do Pensamento Cristão II: Escolástica até Reforma

História do Pensamento Cristão III: Reformadores até séc.XIX

História do Pensamento Judaico

História e Doutrinas das Religiões I

História e Doutrinas das Religiões II

História e Doutrinas das Religiões III

História e Doutrinas das Religiões IV: Catolicismo Romano

Homilética

Inglês instrumental (F)

Latim I (F)

Latim II (F)

Liderança Cristã I

Liderança Cristã II

Liderança Cristã III

Liderança Cristã IV

Literatura Apócrifa e Pseudepígrafa

Metodologia da Pesquisa

Novo Testamento I: Introdução e Análise I

 Novo Testamento II: Introdução e Análise II 

Português preparatório para Grego, Hebraico e Latim

Psicologia Pastoral I

Psicologia Pastoral II

TCC I (Trabalho de Conclusão de Curso): Instrução, orientação e elaboração

TCC II (Trabalho de Conclusão de Curso): Dissertações dos alunos

Teologia I: Doutrinas Básicas I

Teologia II: Doutrinas Básicas II

Teologia III: Prolegômenos

Teologia IV: Teontologia

Teologia V: Trindade

Teologia VI: Criacionismo Científico

Teologia VII: Angelologia

Teologia VIII: Antropologia Teológica

Teologia IX: Hamartiologia

Teologia X: Cristologia

Teologia XI: Soteriologia

Teologia XII: Pneumatologia e Paracletologia

Teologia XIII: Eclesiologia

 Teologia XIV: Escatologia

Teologia XV: Teologia Contemporânea (Análise Crítica)

Teologia XVI: Hagiologia

Teologia do Novo Testamento I: Sinóticos e Atos dos Apóstolos

Teologia do Novo Testamento II: Escritos Joaninos

Teologia do Novo Testamento III: Escritos Paulinos

Teologia do Novo Testamento IV: Hebreus

Teologia do Novo Testamento V: Escritos Judaístico, Tiaguino e Petrinos

Teologia do Novo Testamento VI: Escrito Joanino do Apocalipse

 

(F) A Faculdade de Teologia Wittenberg recomenda aos seus alunos de idiomas (hebraico, grego koiné e latim) que se cadastrem no site "Forvo", para que tenham um melhor aproveitamente na pronúncia das palavras em tais idiomas.

O quórum para abertura de disciplina é de cinco alunos matriculados.

 

A lógica dos conteúdos programáticos (CPs)

 

    O professor deve seguir disciplinadamente o conteúdo programático de sua disciplina em conformidade ao tema de cada da aula prevista no mesmo. Mais do que importante, a adoção do conteúdo programático por parte do professor é de extrema necessidade para um melhor aproveitamento por parte dos alunos, uma vez que:

  • Um professor que venha lecionar uma disciplina sequencial (ex.: Filosofia III) que teve outro professor lecionando na disciplina anterior (ex.: Filosofia II) poderá manter a sequencia lógica do conteúdo programático, sem se preocupar com aulas não dadas e temas não abordados no semestre anterior, não prejudicando, assim, o aluno;
  • O aluno tem ciência do que irá aprender nas disciplinas que definir contratar;
  • A turma não é prejudicada por professores indisciplinados e limitados em seu conhecimento, expondo apenas uma pequena parte dos assuntos relacionados à disciplina, muitas vezes fazendo o aluno perder seu tempo com a exposição de assuntos de outras disciplinas ou mesmo de disciplina nenhuma;
  • Os alunos não são prejudicados por ensinamentos que variem conforme o humor, o preparo e a disposição de cada professor, individualmente;
  • A Faculdade de Teologia Wittenberg mantém o seu compromisso em zelar pela excelência no ensino e na presenvação do lema confessional “Sola Scriptura”, "Sola Fide", “Sola Gratia”, “Solus Christus” e “Soli Deo Gloria”.

    Ainda que o professor tenha grande conhecimento da disciplina, se ele não focar na temática enunciada no conteúdo programático poderá, de maneira prolixa, variar em uma série de assuntos sem conseguir concluí-los e concatená-los entre si. Ou, pior, fugir do assunto e enveredar por temas relacionados ao conhecimento de outras disciplinas, saindo completamente do foco de sua função e confiscando do aluno o direito ao aprofundamento do conhecimento do conteúdo programático que contratara. Por isso, deve o professor, com o notório conhecimento da disciplina, focar, de maneira precisa, e apresentar tal conhecimento dentro da pauta da aula prevista.

    A elaboração das provas deve ter por base os conteúdos programáticos.

    O conteúdo programático não é estático nem canonicamente imutável. Pelo contrário: como se tem observado ao longo dos anos de existência da Faculdade de Teologia Wittenberg, alterações têm sido feitas em vários conteúdos programáticos sempre baseados em sugestões de professores que, acrescentando mais conhecimento através da sugestão de temas e bibliografias, têm enriquecido ainda mais o conhecimento dos alunos. Entretanto, não basta um professor desejar alterar para que tal mudança seja iniciada. É preciso que apresente suas sugestões diretamente à reitoria e aos coordenadores da área da disciplina em tela, explanando pessoalmente os temas a serem incluídos e as aulas nas quais seriam suas sugestões inseridas. As alterações aprovadas só entrariam em vigor no semestre letivo seguinte, para não causar prejuízos aos alunos nem o desconforto de, tendo contratado uma disciplina após analisarem o conteúdo programático proposto, serem surpreendidos por outra pauta de aulas, assim como aos demais professores de tal disciplina, o que inclui, também, possíveis investimentos pessoais nas novas bibliografias recomendadas.

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!