Orientações aos viajantes

Pagamentos

 
O pagamento da passagem deve ser feito diretamente com sua agência de viagens (a maioria do grupo o tem feito com o Sr. Mauro Paixão). Clique aqui.
O pagamento do terrestre na Europa deve ser feito exclusivamente com o Sr. Mauro Paixão, em até 10 vezes  o cheque ou no cartão.

• O pagamento do do curso e terrestre em Israel (o valor pode ser negociado diretaente com o Sr. Ariel) deve ser feito através de transferência. Sugerimos a Western Union. Para saber como fazer esta transferência, clique aqui.

• Cada passageiro deve obter com a Pontual Viagens o seu voucher referente a cada hotel da Europa (Roma e Paris).

 

Documentos

 

Passaporte

 
Se você ainda não tiver, providencie o seu imediatamente através do site da Polícia Federal: http://www.dpf.gov.br/servicos/passaporte/requerer-passaporte/requerer-passaporte
Verifique o prazo de validade do passaporte e dos vistos (os passaportes têm que ter validade de, no mínimo, 6 meses para ser válido na entrada da Europa).
Junto ao passaporte mantenha uma cópia de sua passagem aérea (ou voucher), que é a prova do contrato de transporte.
Leve duas cópias de seu passaporte. Uma será a que você andará em sua carteira no dia-a-dia (deixe seu passaporte original no cofre do hotel ou na mala que ficará em seu quarto, "com cadeado", por favor). A outra deve ser deixada com o líder do grupo pois, se houver alguma perda ou roubo, será possível apresentar a cópia. Nesse caso, faça um boletim de ocorrência e, em seguida, dirija-se a uma loja da companhia aérea com a cópia da passagem para cancelar o bilhete e evitar que outra pessoa viaje em seu lugar ou ligue para o telefone de apoio da companhia
Os portadores de passaporte estrangeiro residentes no Brasil levarem consigo o seu RNE original.
• Todos devem enviar de imediato ao coordenador da viagem (Pr. Martinho Lutero) os seguintes dados: número do passaporte e data do vencimento.
 

Menores de idade

 
São duas as autorizações para menores de idade viajarem ao exterior (sendo ambas encontradas em www.teologia.teo.br/menores-de-idade):
Autorização para emissão de passaporte.
Autorização para permissão de viagem ao exterior.
A autorização dos pais para obter passaporte não supre a autorização para o menor viajar para o exterior desacompanhado.
Menores de idade podem viajar ao exterior sozinhos ou acompanhados de UM de seus genitores contanto que, além do passaporte, apresentem a “Autorização dos Pais”, assinada e reconhecida em cartório por ambos os genitores.
Se o menor for acompanhado por seus DOIS genitores não precisará desta autorização. 
 

Passagem aérea

 
Imprima a sua passagem (que a agência de viagens lhe enviou) e, além disso, anote em outro lugar o número de seu e-ticket, que também serve como passagem.
Ao receber passagens, confira os dados imediatamente.
 
 

Dinheiro

 

Quanto levar e o que usar (cartão de crédito? Pré-pago? Dinheiro?)

 

Cartão de débito pré-pago

 
Como nem todos os hotéis possuem cofre, não é aconselhado viajar com muito dinheiro em espécie. Por isso, uma boa alternativa é adquirir um cartão de débito como o Visa Travel Money, que permite saques em caixas eletrônicos na moeda local e pode ser recarregado (no Brasil, por alguém que possa te ajudar) quantas vezes forem necessárias. Mas lembre-se de uma coisa: ao depositarem devem pagar o IOF de 6,38%, e o limite é de R$ 10.000,00 por ano para cada CPF.
 

Cartão de crédito internacional

 
Há ainda a opção de utilizar o cartão de crédito internacional, mas, nesse caso, você será submetido às oscilações da moeda na data de pagamento da fatura. Além, disso, o IOF também é de 6,38%.
Outra coisa sobre o cartão de crédito é que não basta ter um cartão “internacional” para usá-lo no exterior. Por questões de segurança, você deve ligar, antes de viajar, ao seu cartão informando a data e os países em que você estará neste período, para que, então, o cartão seja desbloqueado para seu uso no exterior.
Esteja atento ao seu saldo “disponível”.
Caso possua Visa ou Mastercard/Eurocard é possível tirar dinheiro dos caixas eletrônicos associados. Ao chegarmos ao aeroporto, sugerimos que saquem ali o dinheiro.
Se possível, leve mais de um cartão de crédito internacional.
 

Dinheiro em espécie

 
Contudo, se ainda assim decidir viajar com muito dinheiro, atente-se para o valor: se levar mais de R$ 10 mil ou o equivalente em outra moeda, você deve fazer a Declaração de Porte de Valores (DPV) e apresentar o comprovante pelo site https://www.edbv.receita.fazenda.gov.br/edbv-viajante/pages/selecionarAcao/selecionarAcao.jsf
Não se esqueça de imprimir este comprovante e levá-lo consigo.
Vale lembrar que neste valor de R$ 10.000,00 se inclui o dinheiro declarado pelo site acima e, também, os valores que forem depositados no cartão de débito internacional (cartão pré-pago, como o Visa Travel Money e outros) e nos traveller’s checks.
A vantagem de levar dinheiro em espécie é o valor do IOF. Enquanto o IOF dos cartões (crédito, débito, pré-pago) é de 6,38%, o do dinheiro em espécie é de 0,38%. Ou seja: você já economiza 6%.
Evite carregar notas de valores altos. Peça que te entreguem o máximo de notas menores.
Nunca transporte todo o dinheiro num só lugar. Varie: carteira, bolso da calça, bolsa de valores “escondida”.
Dinheiro e objetos de valor podem ser guardados em cofres dos hotéis, mas não nos responsabilizamos por desfalques nos mesmos.
O ideal é manter o seu passaporte (original) e a maioria de seu dinheiro na “pochete interna” que comentamos no subtópico “Bagagens”.
 

Travell Check

 
Traveller's checks são seguros e bem aceitos, mas para trocar é necessária a apresentação do passaporte ou cópia.
 

Câmbio

 
R$ 10 = ILS 15 (shekels israelenses).
R$ 10 = € 3,00 (euros).
(valores arredondados)
 
 

Aeroporto, vistos e alfândega

 

Vistos

 
Israel, Itália e França não exigem vistos a brasileiros que fiquem menos de noventa dias em seus territórios.
Ainda que apenas o passaporte seja suficiente na maioria dos casos, alguns policiais da imigração podem exigir:
Voucher dos hotéis onde você se hospedará.
E-ticket com a data da volta ao país de origem.
Comprovante de seguro de viagem internacional, incluindo assistência médica/hospitalar e repatriação sanitária.
Fundos suficientes para a estadia (dinheiro, travel check ou cartão de crédito).
 

“Tax Free”

 
Nos três países que passarmos muitas lojas têm uma sinalização padrão de “Tax Free”, ou seja, ao comprar qualquer produto você receberá a nota fiscal. Parte dos impostos incidentes ao produto são reembolsados aos turistas, porém para isso você devera guardar todas as notas e antes do embarque você devera apresentá-las no balcão do Tax Free juntamente com seu cartão de embarque e seu passaporte para receber de volta o valor destes impostos.
Vale considerar que você deve mostrar os produtos aos mesmos. Portanto, lembre-se de colocar todos eles em apenas uma mala. Por questões de segurança e tempo evitaremos fazê-lo em Israel (nos desculpe).
 

Aeroporto no Brasil

 

Ida ao aeroporto

 
Antes de ir ao aeroporto, evite comer muito, preferindo alimentos de fácil digestão. 
Procure chegar no aeroporto 3 horas antes do horário do embarque. Considere o trânsito, as chuvas e até mesmo a possibilidade de um pneu furado.
Separe em uma pasta separada em sua bagagem “de mão” o passaporte e os demais documentos (passagem, vouchers, seguro saúde etc.) que serão usados na viagem.
Use roupas confortáveis durante a viagem, especialmente as meias.
Para evitar que seus pés inchem durante os voos de longa duração, procure caminhar, quando estiver acordado, a cada duas horas e, ao dormir, tire o seu sapato.
 

Chegando ao aeroporto (na ida)

 
Procure estar sempre ao lado do grupo. Entretanto, vamos começar a fazer o check-in despachando as malas com os que estiverem presentes, não aguardando aqueles que, eventualmente, se atrasem.
Vale dizer que não nos comprometeremos com atrasos que ocasionem a perda da passagem. Por isso, procure chegar o mais cedo possível e, depois de seu check-in, relaxe.
Evite fazer compras na partida para não acumular pacotes.
Usaremos, a título de identificação nos aeroportos, um boné com uma numeração (que lhe acompanhará por toda a viagem). Usaremos este boné em todos os aeroportos.
Tiraremos duas fotos oficiais, uma com e uma sem o boné.
Nunca deixe sua bagagem desacompanhada.
No aeroporto, não aceite pedidos para levar encomendas.
Responda com seriedade às perguntas da Polícia Federal e da imigração.
 

Retorno ao Brasil: Duty Free

 
Além da cota de US$ 500,00 para compras no exterior, o viajante tem direito de gastar US$ 500,00 no Duty Free Shop no aeroporto onde a bagagem será examinada pela Alfândega Brasileira, no desembarque (a cota não vale para free shop de outros aeroportos). 
Valor excedente: Se as compras ultrapassarem o valor da cota de isenção, o viajante estará sujeito a pagar multa sobre o valor excedente calculado à base de 50% do valor que exceder a cota. Por exemplo: você pode trazer ao Brasil US$ 500 dólares, mas gastou US$ 600. O imposto será calculado sobre o valor excedente, ou seja, US$ 100. Nesse caso, 50% de US$ 100 = US$ 50. 
O limite de isenção é individual e intransferível e, por isso, não pode ser somado, nem mesmo para casais ou pais e filhos e só pode ser utilizado uma vez a cada 30 dias.
 

Aeroportos no exterior

 
Sendo a viagem noturna, procure acordar cedo para evitar fila no banheiro ao avião.
O aeroporto de Roma será o nosso primeiro destino e, por isso, esteja atento ao padrão que adotaremos nos demais aeroportos do exterior, em QUATRO lugares:
 

1º. Imigração

 
No avião você receberá um formulário de imigração. Mantenha esse formulário junto com o passaporte, pois ele deverá será devolvido para na imigração quando você for deixar o país e, caso não seja apresentado, pode impedir o seu retorno ao Brasil.
Ao sair do avião, aguarde o restante do grupo. Só então, colocaremos os nossos bonés e iremos passar pela imigração.
A imigração, me apresentarei como o guia do grupo e, a seguir, irei passando cada um os integrantes, em ordem numérica. Qualquer dúvida estarei ao vosso lado.
Ao passarem pela imigração, podem ir se dirigindo à esteira das malas para ir retirando as suas.
 

2º. Esteira de malas

 
Retire suas malas e aguarde o grupo pacientemente, pois alguns podem ser chamados para entrevista. Nestes casos, me apresentarei oferecendo-me para ficar com aqueles que forem chamados. Se isto ocorrer, delegarei outra pessoa para estar com todo o grupo até que retornemos.
Caso alguma mala seja extraviada, estarei à disposição para ajuda-los no trâmite interno para que as leve ao hotel.
 

3º. Alfândega

 
Quando todo o grupo estiver unido, passaremos juntos, com os nossos bonés, na alfândega. Se pararem alguém para vistoriar as malas, todo o grupo, ao passar, deve esperar os demais.
 

4º. Câmbio / saque de dinheiro

 
Trocaremos o dinheiro na casa de câmbio que há no aeroporto. Ainda que a taxa possa ser um pouco maior, as notas são sempre garantidas (cambistas de rua e alguns taxistas costumam repassar algumas notas falsas).
Após, iremos juntos à van/ao micro-ônibus iniciar nosso passeio, deixando nossas malas no hotel.
 

Aeroporto em Israel

 

Entrevistas e revistas de segurança

 
As autoridades israelenses são rigorosas em questões de segurança e, por isso, submetem os turistas a revistas ou interrogatórios várias vezes antes do embarque e, eventualmente, no desembarque em Israel. Sejam pacientes e colaborativos.
Responda sempre o que lhe perguntarem com seriedade e respeito.
Em Israel é comum haver mais de uma blitz policial a caminho do aeroporto. Por isso, tenha paciência e seja simpático e colaborativo o tempo todo.
Por este motivo, temos que sair ao menos 3,5 horas do hotel a caminho do aeroporto de Tel Aviv.
Não compre nada ao chegar ao aeroporto de Tel Aviv. Somente depois da última revista antes de entrar no avião é que você deve fazê-lo.

Aos que viajarem separadamente do grupo

 
Aqueles que viajarem a Israel em outros voos que não os do grupo devem acertar diretamente com o Sr. Ariel Horovitz a questão relacionada ao transfer entre o aeroporto e o hotel e, conforme o horário, ao local onde o grupo estiver, não sendo esta (transfer) uma responsabilidade do coordenador da viagem (Pr. Martinho Lutero).

 

Bagagem

 

Instruções básicas

 
Não se esqueça de levar a sua Bíblia, porque na verdade ela é que vai ser o nosso verdadeiro guia desta viagem! Uma caneta e um bloco de anotações também serão bem-vindos, apesar de que em Israel receberemos material do Curso de Arqueologia.
Compre cadeados para cada mala e mude o código antes da viagem. Se não souber como mudar, este vídeo (1 minuto e meio) poderá ajudá-lo.
Leve apenas o essencial. Lembre-se: com certeza você trará várias lembranças desta viagem.
Não perca de vista as suas malas. Fique atento quando abordado por pessoas "simpáticas" ou alguns que lhe pidam informações.
Identifique sua mala (nome, telefones e e-mail), e a fotografe antes de embarcar, deixando tal foto em seu celular).
Em Israel é provável que peçam que você abra todas as suas malas. Seja gentil e paciente, e responda a todas as perguntas que lhe fizerem.
Na mala de mão, leve sempre uma muda de roupa interna, para eventuais emergência (extravio de mala, por exemplo).
A mochila é muito bem-vinda, pois a usaremos no dia a dia. Se quiser usá-la como bagagem de mão, ótimo. Se não, a leve dentro da bagagem a ser despachada.
 

Pesos e limites (bagagem a ser despachada)

 
A bagagem que será despachada deverá ser composta por malas ou bolsas suficientemente rígidas e resistentes aos impactos causados durante a movimentação normal, para que seu transporte seja o mais seguro possível.
Para voos internacionais, cada passageiro tem direito a despachar 2 malas de 32 kg cada. 
Todo excesso de peso deve ser pago pelo dono da bagagem. Portanto, se puder, leve uma “balança de mala”, com valor bem acessível e à venda em lojas de mala. 
Solicitamos que a etiqueta seja devidamente preenchida com o nome do passageiro, por favor. 
Se puder, caracterize sua mala de forma a ser reconhecida de outras que tenham o mesmo formato.
Uma sugestão é levar uma correia (também à venda em loja de malas), se por alguma razão, o fecho da mala se estragar.
 

Peso e limites (bagagem “de mão”)

 
Quanto à bagagem de mão, cada passageiro poderá levar até 5 kg com as seguintes dimensões máximas: comprimento: 55 cm, altura: 25 cm. e profundidade: 35 cm. 
Estão proibidos de levar na cabine do avião aerossol (em qualquer quantidade) e líquidos e gel em frascos com 100 ml ou mais, incluindo bebidas, perfumes, desodorantes, shampoo, loções, cremes, gel para os cabelos e outros produtos da mesma consistência. Tais produtos podem ser transportados como bagagem despachada. 
No caso de frascos com menos de 100 ml, o mesmo deve estar condicionado adequadamente (com folga) dentro de uma embalagem plástica transparente vedada (tipo “zip lock”), com capacidade máxima de 1 litro e tamanho máximo de 20 cm x 20 cm.
Não podem levar objetos pontiagudos, como: faca, canivete, estilete, etc.
Recomendamos que estejam na bagagem de mão: higiene pessoal, celular/máquina fotográfica/filmadora, tablet (e seus carregadores), adaptador de tomadas “universal”, uma muda de roupas e um casaco (estará frio por lá). Dinheiro, passagens e documentos devem ser levados junto ao corpo.
 

Medicamentos na bagagem de mão

 
Medicamentos essenciais que não necessitam de prescrição médica (colírio, solução fisiológica para lentes de contato etc., desde que não excedam 120ml ou 4oz).
Medicamentos essenciais acompanhados de prescrição médica (deverá possuir o nome do passageiro para ser confrontado com o que consta no cartão de embarque).
Insulina e líquidos (incluindo sucos especiais ou gel) para passageiros diabéticos acompanhados de prescrição médica desde que não excedam 148 ml (ou 5 oz).
 

“Pochete interna” com suporte para dinheiro e passaporte. 

 
Sugerimos que cada passageiro leve o seu passaporte original e a maioria de seu dinheiro em um acessório (“pochete interna”) que fica junto ao corpo, dando-lhe maior segurança. Um exemplo desta carteira se encontra em http://pt.aliexpress.com/item/Travel-ultra-thin-personal-hidden-pockets-of-outdoor-document-bag-wallet/838400134.html mas é encontrada em quase todas as lojas de malas no Brasil.
 

Celular, internet e eletrônicos

 

Contato com o Brasil

 
Para evitar gastos desnecessários, procure deixar o seu celular em “modo avião”, habilitando apenas o wi-fi para que, onde houver rede disponível, você consiga se comunicar com o Brasil (e-mail, redes sociais, telefonia via Skype ou FaceTime etc.).
Lembre-se: mesmo que não faça uma chamada telefônica, os dados de e-mails e redes sociais serão cobrados, e você poderá levar um susto ao regressar ao Brasil.
Em alguns hotéis há computadores à disposição (por um valor pequeno) e também podem cobrar pelo sinal de wi-fi, mas o valor é pequeno.
Como ficaremos 10 dias em Israel, se desejar você pode alugar um chip no próprio aeroporto para usar livremente o celular.
Se quiser telefonar a cobrar para o Brasil, também pode fazê-lo pelo telefone da Embratel. Basta ligar para os números abaixo, digitar a opção “1” e, a seguir, digitar o DDD e o número do telefone:
Ligar desde Israel: 180 949 45 50 (ou 180 920 55 55)
Ligar desde a Itália: 800 172 211
Ligar desde a França: 0800 999 55 00
Por fim, se você quiser usar o seu celular com o chip brasileiro, entre em contato com a sua operadora de telefonia celular e consulte o custo para você fazer e receber ligações.
Mas lembre-se: você terá que pagar a ligação ao hotel (na tarifa “local”) além de pagar, no Brasil, esta ligação “à cobrar”. Não se esqueça disto no check-out.
Tenha atenção no horário para ligar para o Brasil, pois na França e Itália são 4 ou 5 horas a mais que no Brasil, e em Israel, de 5 a 6 horas.
 

Eletrônicos

 
Não se esqueça de levar o carregador de seu celular / laptop / máquina de fotos etc.
Invista em uma “tomada universal”, encontrada facilmente em lojas de eletrônicos.
A voltagem nos três países que visitaremos é 220 v (diferentes da voltagem no RJ e SP, que é 110 v). Portanto, apenas leve seus aparelhos que sejam bivolt, senão podem queimar imediatamente ao serem colocados na tomada (secadores de cabelo, filtros de linha etc.).
 

Saúde

 

Vacinação

 
Israel, França e Itália NÃO exigem certificado de febre amarela.
 

Seguro saúde

 
Como visitaremos dois países europeus que integram o Tratado de Schengen (que isenta a necessidade de visto) é preciso comprovar assistência de viagem com valor mínimo de 30 mil euros. 
Além disso, para todos os outros tipos de seguro saúde, é importante ter sempre em mãos o telefone de contato da Central de Atendimento, para facilitar a utilização do seguro em caso de necessidade. 
É realmente imprescindível fazer um seguro saúde. Um tratamento de canal em um dentista de Roma ou uma perna quebrada em Jerusalém podem custar mais caro do que suas passagens aéreas. Há diversas alternativas no mercado. A maioria dos chamados seguro-viagem inclui apenas assistência médica e hospitalar. Mas também há os que chegam a oferecer tratamentos odontológicos e os que dão até um valor para medicamentos. 
Seja qual for a escolha de plano, há uma exclusão de praxe: nenhum plano de assistência médica temporária cobre problemas de saúde decorrentes de doenças preexistentes.
Um dos integrantes do grupo (Verdi Barros) trabalha com tais seguro e, caso você deseje, faça um orçamento com ele: (21) 98881-1549 e 2208-4889.
 

Remédios a levar

 
O kit básico de viagens é:
Remédios que você já toma (calcule com atenção a quantidade necessária, pois não vai ser possível comprá-los com receita brasileira no exterior).
Antitérmicos (para a febre).
Anti-inflamatórios (para dores).
Antieméticos (para enjoos).
Pastilhas para aliviar dor de garganta.
Remédios específicos para controlar crises de diarreia. 
Se levar medicamentos de faixa preta, carregue junto um relatório médico, em inglês, justificando-os. Você poderá ter problemas de pressão, tentando se explicar junto ao serviço de imigração...
 

Hotéis

 
Imprima os vouchers dos hotéis e guarde-os em uma só pasta, que deve estar em sua bagagem de mão.
Esteja atento ao horário do café-da-manhã e ao horário combinado para entrarmos no micro-ônibus.
Lembre-se que o horário de entrada (check in) costuma ser às 14h ou 15h e o de saída (check out) às 12h.
Os quartos são duplos, e os companheiros de quarto serão os mesmos em toda a viagem. 
Se caso você preferir dormir sozinho(a), opte por suplemento para um quarto individual, sabemos que às vezes é difícil dividir um quarto com pessoas e hábitos diferentes. Neste caso, contate o Sr. Ariel Horovitz (para as taxas adicionais nos hotéis de Israel) e Sr. Mauro Paixão (para as taxas adicionais nos hotéis na Europa).
Se fizer ligação do quarto será cobrada uma taxa. Por isso, procure ter em seu celular um programa como o Skype, FaceTime ou outro semelhante.
As taxas do canal de televisão pago (pay channel) costumam ser caras. Evite: você chegará cansado no hotel e não terá tempo suficiente.
Se preferir, guarde dinheiro e o passaporte original, assim como objetos de valor, no cofre do hotel, mas não podemos garantir que outras pessoas tenham o código do mesmo.
Ao deixar os hotéis, verifique sempre eventuais contas extras. 
Muito cuidado com joias, passaporte e dinheiro. Se for deixá-los em sua mala, feche-as com cadeado antes de deixar seus aposentos.
 

Excursões e saídas em grupo

 

Convívio em grupo

 
Todos os participantes deverão participar de todas as atividades.
Coloque na sua mala de viagem bastante alegria, paciência, bom humor e muito amor a Deus! Caso você esteja compartilhando o quarto com outro participante do grupo, paciência e respeito são importantes entre os companheiros de viagem. 
A “regra número um” é jamais sair de perto do grupo.
Siga o ritmo de seus guias. Cuidado com as compras, pois muitos se distraem, perdem a hora e, com isso, se perdem.
A unidade do grupo é essencial e para isso é importante respeitar os horários, não separar-se do mesmo durante as excursões, e prestar atenção às informações dadas pelos guias locais.
No micro-ônibus, os únicos lugares cativos são os dos guias. Os demais lugares não são reservados e, por isso, ficam à escolha de cada um, conforme sua entrada no ônibus.
 

Segurança

 
Quando sair, leve sempre o telefone e endereço do hotel (pegue o cartão de visitas do hotel na recepção).
Se você se perder do grupo, procure um policial, pois ele irá ajudá-lo. Entregue a ele o telefone dos guias (passaremos a você tão logo cheguemos a cada cidade) ou o cartão do hotel (pegue-os na recepção).
Em alguns locais de muito movimento, usaremos os nossos bonés de identificação. Não precisará usá-lo em todo o tempo, apenas nos momentos em que o guia orientar a fazê-lo.
 

Compras

 
Nas compras, guarde os recibos das compras e não se esqueça que as taxas (impostos) não estão no valor da etiqueta.
Não se esqueça das lojas que oferecem o Tax Free. É vantajoso para você.
Não se distraia com as compras, perdendo os horários programados.
Em Roma teremos pouco tempo para compras. Por outro lado, em Paris teremos um dia só para isso. 
Em Paris, os que desejarem ir fazer compras em locais específicos devem avisar aos seus guias, para que estes saibam seu roteiro, os ajudem e programem conjuntamente e horário e local de reencontro.
Lembre-se do peso e volume de pacotes, pois teremos um dia inteiro para compras. Por isso, é mais prático e confortável sair do hotel neste dia com uma pequena mala de rodinhas.
Em Jerusalém, visitaremos dois mercados: um judaico (“Mahane Yehuda”), antecedendo o Shabat, e um árabe (“Suk”). Em ambos é quase ofensivo você não lutar pelo melhor preço e não pechinchar ao máximo!
Ambos são locais tumultuados e, por isso, devem estar atentos com suas mochilas, bolsas e carteiras (nem todos são vascaínos ;-).
 

Clima e roupas

 

Clima

 
Estaremos em pleno inverno europeu. Portanto, saia do Brasil com um bom casaco. As temperaturas médias em fevereiro são:
Roma: 15º
Jerusalém: 13º (algo como Teresópolis no inverno).
Tel Aviv / Tiberíades: 16º
Paris: 9º
 

Roupa

 
Leve um casaco adequado a tais temperaturas. Vale, entretanto, ter também um casaco “leve”, para o dia-a-dia em Israel. Os casacos mais resistentes, se estiver um clima ameno, podem ficar no ônibus. Moletons são uma sugestão.
A roupa a ser levada deve ser antes de mais nada, confortável e prática. Durante o dia estaremos fazendo visitas e muitas vezes caminhando, assim são fundamentais levar sapatos cômodos como tênis.
Não se esqueça de levar um chinelo, para andar no hotel.
É importante lembrar que nas visitas aos lugares de importância religiosa, não se pode entrar com bermuda ou decotes ou blusas sem mangas. Por isso, consulte o seu guia sobre o roteiro do dia para saber se haverá necessidade de ir de calça ou bermuda (em que pese estarmos no inverno alguns preferem usar bermudas).
É interessante levar uma bermuda / um maiô aos que desejarem tomar banho no Mar Morto.
No caso dos que desejarem banhar-se no Mar Morto, onde você não afundará, por causa da alta taxa de salubridade não se pode ficar mais do que 15 minutos na água. No local que paramos tem uma infraestrutura com toalha, cadeiras de praia e banheiros com ducha, mas é cobrada uma pequena taxa que você pagará na hora. 
Para a formatura, que ocorrerá no auditório do hotel (estaremos em Tel Aviv ao final do curso), sugerimos que se vista da melhor forma.
 

Alimentação

 
Na Europa os hotéis oferecem apenas o café da manhã, dentro do horário previsto.
Em Israel, o sistema alimentar é de meia pensão, ou seja, café da manhã e jantar. Refeições feitas em grupo são sempre com cardápio fixo. As bebidas (refrigerantes e outras que não estejam sendo servidas) deverão ser pagos à parte. 
Tanto na Itália, França e Israel você pode tomar água de torneira, ainda que possa sentir um pequeno gosto de cloro.
 

Formulário de intenção

Este formulário não constitui compromisso algum de compra. 
Apenas apresenta a sua intenção de fazer o curso e/ou viajar, para que o coordenador do curso e/ou o agente de viagens recomendado por nós entre em contato com você.
Fill out my online form.

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!